sexta-feira, 5 de outubro de 2012

MOMENTOS


Uma senhora andava pela rua, como uma brisa fina que passa bem leve, sem destino, que quase nem percebemos o choro, o querer descobrir a razão da perda, que seja ele qual for o motivo, trás o sofrimento que é uma espécie de contrapeso para aliviarmos o espírito abalado com a falta de recompensa, que se não for balanceado, vicia e causa danos à alma.
O momento deve ser visto como único e o mais importante de todos que passamos na vida. Nascemos, crescemos e morremos num certo momento. Fazemos amizades, perdemos coisas, ganhamos outras. Esclarecemos, criamos, enriquecemos e depois esses momentos acabam e não os vivemos.
Toda vez que vejo o mar, uma uma criança sorrir, a paz em consenso com a natureza me faz ver que o amor é o único valor que guardamos para a vida eterna, que não basta fazermos boas ações, dizermos palavras encantadas, se no âmago de nossos desejos o amor não for a grande essência.

Emiliano Pinheiro Véras


TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...