quinta-feira, 12 de dezembro de 2019

VOCÊ



Trago-te prisioneiro n'alma.
Sois a solidão do encontro,
manutenção da frustração.

Tenho carne e sou teu único,
néctar, como a verdade impar
dos meus sentimentos de dor.

Que surgem da terra como flor
de cor e perfume de imperatriz,
loucamente puro, surpreendente
ansiolítico, nosso cego encanto.

Que onde rasga o sorriso
encontra a paz de espirito,
deslumbre do amanhecer
noia ao som de te amar.

Emiliano Véras e Levi Lopes

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...