domingo, 15 de agosto de 2010

SER E NÃO SER




"Hoje sou tempestade
Amanhã calmaria.
Sou humanidade
Depois solidão.
Sou vontade,
Desejo!
Ao mesmo tempo não!
Sou forte,
Sólido!
Em segundos, pedaços.
Sou o pássaro livre
Que canta ferido.
Sou a sandália perdida,
Logo achada.
Sou o encontro alegre,
Antes a saudade triste.
Sou o sim e não o sou,
Sou o todo universo.
Eu não sou nada!"


 Emiliano P. Véras

ANJO TORTO




Quando o céu nublado
As estrelas brilham
Para um anjo louco.
A revolta é linda
Diz a água forte
De um lago torto.
Logo chove fraco
Cada vez mais largo
Fica o espaço morto.
Meu amor me chama
Grita!
Me faz correr...
Corri feito um louco
Me acabando aos poucos
Sem meu amor eu ver. 
Caí num buraco fundo,
Cada vez mais profundo
Não conseguia me mover.
Foi então que fechei os olhos 
E comecei a enxergar
O amor que eu tinha esculpido
Nas ondas inquietas do mar. 

Emiliano Véras

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...