quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

NÃO ME JULGUE



Não me julgue por muito ter te amado.
Julgue-me apenas pelas vezes que triste
faltou esperança da minha parte,
julgue-me pelas vezes que o ciúmes 
e a possessividade falaram mais alto
e eu não soube mais o que fazer
e eu não soube mais como te amar.
Não me julgue por ter sido tão seu,
tão apegado, tão carinhoso, 
julgue-me sim, por não ter te deixado
logo depois de traído e confuso, 
julgue-me por só depois te abandonar
e mesmo assim sofrido por ainda te amar.
Não me julgue por ter tentado
mais de uma vez e não te esquecer,
julgue-me por ter achado que o perdão
faria nosso amor se renovar,
julgue-me também por te levar a sério,
por ter confiado e te deixado no escuro
me levar a caminhos desconhecidos
e assim mesmo te seguido.
Não me julgue, pois no amor
não existe vencedor.

Emiliano Pinheiro Véras

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...