segunda-feira, 11 de novembro de 2019

NÃO CHORAS!




Não choras, sinta o vapor 
da noite fria.
Nega não, até amanhecer, 
sem tempo a perder.
Aceita tão meiga tentação, 
lave a alma com atenção,
Abra essa tua verdadeira porta 
da loucura, paixão.

Ave a cantar nessa manhã, 
abraça a brasa, nasça!
Agonizante solidão, morre 
nos  pares dos nossos pés,
Nobre tensão de duas sombras 
de más intenções,
Natureza dos corpos nus 
delira ao luar venerável.

Sinta-me ao som das risadas 
errôneas da natureza 
Seiva do homem, sem ego, 
tímido e ávido de paixão
Insonia e solidão dos momentos 
imersos da alma
Insumo devastado pelas 
carnificinas do coração. 

Idealização dos dias alegres 
em corpos delirantes
Instintivos e amados, abençoados 
de amor e ternura,
Saudáveis de reciprocidade, 
alegria, paz e brandura
Sabendo das agruras, vencidas 
após lutas e solidão.   

Emiliano Véras e Levi Lopes


TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...