segunda-feira, 31 de agosto de 2015

NUNCA MAIS




Não dá para simplesmente dizer
adeus e nunca mais.
Há sentimento que a razão silencia,
mas o coração está vivo, pulsando
sem parar e sem descompasso.
São tantas palavras ditas baixinhas
que nem no repertório dos mais
clássicos dos poetas nada foi esquecido,
nem nas melodias dos mais românticos
interpretes, faltou tantas histórias de amor.
São minuciosas lembranças bem definidas,
guardadas que ficaram em cada parte do corpo,
impregnada do cheiro, das discussões e fantasias,
Desejos sem autorrecuperação!
Não dá para esquecer o primeiro por do sol,
os primeiros passos, o primeiro olhar
e as melhores horas do dia
quando sentíamos que nos tornamos um só,
que tudo estava em paz e nada podia mudar.
Não tem jeito, não!
Não vai dar para esquecer o que passou.
Melhor dizer até mais.

Emiliano Pinheiro Véras

sábado, 8 de agosto de 2015

LIBERDADE



Não há perigo
Se o amor estiver vivo
E eu te amando. Terei motivos!
Nada de armas se as flores florescesram.
Os soldados do bem, aliados da paz.
Lutarão sem destruição.
Noa dias de hoje, de confusão.
Sem mentiras, só verdades!
Ninguém esquecerá o limo, a libertação!
Sem o povo sofrendo, morrendo!
E o sistema, dono da situação,
Mandando se “mover”.
Chega de opressão,
Falta de opinião.
Liberdade prá dentro da cabeça.
Quando tudo acabar
Se você não estiver,
Não vou entender.
Estar sem você no por do sol,
Na transformação da nação.
Eu vou chorar...
São coisas que vem do coração.
Liberdade, amor e paixão!


Emiliano Pinheiro Véras

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...