sexta-feira, 30 de novembro de 2018

CRIAÇÃO CELESTIAL



E assim nasceu reluzente
O intrigante momento no tempo.
Agora se tornará fresca a aurora.
O que antes no inferno
Satanás divulgará vitória.
E o flutuar onde pássaros cantam
O amor irá encontrar!
Bruma do desprazer murchara
Algo inoxidável a semente
Que horas não notávamos?
O coração, a criação final
E cantávamos, cantávamos
A mais louca alusão celestial.

Emiliano Veras e Levi Lopes

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...