terça-feira, 13 de novembro de 2018

SINTONIA?


No relampejar dos olhos,
Fria noite esperando você.
Posso está acordado, sonhando,
No brio do esquecimento e outros olhos
Abraços. Quem sabe...Depois!

Distante de ti sou canto desolado
Que as horas repelem cada instante
Se as flores estão murchando ao chão, 
Rodopiando a visão de nós dois o coração.

Só eu sendo maluco, semente da ruim
Para não invocar o grito dos desesperados
E figurar a causa da existência humana.

Um dia uma vinda, outra a saída e o fim
Como contar...Vou contar... Já acabou!
Por fim, um coração apaixonado a chorar.

Emiliano Pinheiro Véras



TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...