segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

DAMA DA NOITE

Oh dama da escuridão, dama da saia justa.
Caminhante do silêncio inóspito e pudico,
operante das noites frias e nuas.
Segue teus dias e tuas lutas,
sorridente no trabalho
sedenta nunca falta.
Mãe de sonhos turvos,
esqueces teu calvário.
És mulher, ingênua e tola!
Tens perfume arrogante,
pouco sedutor à patroa, 
muito embriagante!
A música que te anima
a mesma que te consome.
Diz-se formosa dos prazeres carnais
por ocasião de gostar do que muito faz.
Pois então não me chores à toa,
onde sei que és boa pessoa.
Te levanta e segue teu destino,
seja você o que já conseguimos,
todos fomos aprendizes meninos.
És muito mais do que dizes,
és uma pessoa boa.


Emiliano Pinheiro Véras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...