segunda-feira, 24 de junho de 2013

VIDA DE POETA



O poeta parece até que vive das dores para se inspirar. Eu mesmo ultimamente tenho me inspirado bastante. Acho que li demais nas entrelinhas e esqueci que a realidade é mais cruel do que nos contos de fadas.
Um dia, há muito tempo passado, sonhava em ter uma família, filhos, cachorro correndo pela casa, brincando, derrubando coisas e ao invés de zanga, alegria a todo momento. O tempo passa, os filhos andam por aí e a família encontramos em outros lares...


Emiliano Pinheiro Véras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...