sábado, 17 de agosto de 2019

TRANSPARENTE LUA




No esplendor da noite, venha tu me iluminar
Me fazer suspirar e ratificar que o mundo 
Não estás a deteriorar sobre as circunstâncias 
Do porvir romano e grego, sentenciando
Essa face fétida da inocente terra.

Eis me aqui para te ser condutor da nação
Onde ilumina os últimos solitários da noite
Que calejam o reto da estrada sem fio partido,
Vagarantes do deserto de bruma fria
Fecham com a fala irretorquível o mundo

Mesmo inconsequente ao destino cruel
Encontrar-me-ei em teus sonhos frios e sombrios
Que transparece um amor sem calafrio...
Ah... e as ondas do mar com teu brilho, que faz-me imobilizado,
Desmembra a mais lúcida certeza do teu ser imortal em meu inconsciente vivo.


Emiliano Veras e Levi Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...