quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

ATORMENTADO



Mesmo antes do nascimento dos anjos
Na epigenesia da infância traída 
já expurgavam minha vida
Perseguida, sozinho sem causa.

Fantasiosas mestiças do passado, 
constantes da malévola força,
Desprendendo caos aos campos.
Flora de espinhos, trevas no ar, 
espanto do mar, pedinte do clamar.

Uma aurora cheia de vida. 
Fortaleza às vezes abatida
Diante das trevas, olhares 
odiosos, sombras do passado.
Buscas no caminho?

Ruidosamente sou a própria fuga
A repugnância dos maus destinos,
Verbos do vencer, espantosos. 
Vida em degustação do eu,
Sobreviver para a minha glória.

Emiliano Véras e Levi Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...