segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

ADEUS



Sinceramente, estou me vendo um tanto desolado, nem mesmo sei o que está acontecendo, se é comigo ou com você, se é descontentamento ou fadiga o que estou sentindo nesse momento. Você me chama, acende a chama e não tem como apagar com carinho a expectativa que guardo no pensamento e ainda assim me pede sugestivas juras de amor.
O que aconteceu com a gente não foi nada, só nos encontramos em um lindo sonho e conversamos e nos amamos. Não houve dias de devaneios, nem palavras grotescas, não amadurecemos o sentimento nem divagamos a estranheza, se algo mudou não foi por descuido e mesmo se aconteceu não há palavra que não resolva e não há dor que não se cure.
Tudo poderia ter  mudado se tivéssemos conversado, demonstrado a paixão e não esmagado esta nobre emoção. Nunca tinha te sentido tão perto de mim, agora mais do que nunca, não conhecia teu cheiro, teu sabor. Na verdade só hoje sei quem você é.

Emiliano Pinheiro Véras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...