quinta-feira, 26 de abril de 2012

AQUELE AMOR


Já tive dias que muito amei, amei tanto que esqueci de mim. Comecei a valorizar mais a insegurança, a incerteza e quase me excluí. Não mais sabia amar, não sabia e quando o que eu achava ser amor acabou, acabei junto. Chorei por vários dias, até as lágrimas deixaram de existir e me vi num espelho deformado, quase sem aparição, descobri que aquela imagem não era eu, e eu mudei a custo de dor como quem sofre de um acidente. Recuperei-me das feridas, até que o sol voltou a brilhar, como sempre haverá de ser e eu voltei, como voltar de uma guerra, com lembranças ruins, mas que a melhor delas, que realmente importou foi que havia sido feliz.

Emiliano Pinheiro Véras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...