domingo, 26 de maio de 2013

AMANHÃ TALVEZ





Eu já tinha decidido por ti esquecer.

Meu coração por ti quase já não batia.

Foi quando você chegou

e com sua diplomacia

me veio sorrindo e me beijou

que fiquei docinho e gostoso,

vermelho como melancia.

Quem sabe amanhã eu acorde

e reveja o que diz a minha emoção

se é briga de cachorro que morde,

ou se é mesmo uma louca paixão.




Emiliano Pinheiro Véras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...