sexta-feira, 3 de abril de 2020

ERA PARA SER ASSIM...



Embaixo dos lençóis o mundo
não é mais nosso.
Não há guerras, distâncias,
frio ou fome.
As dúvidas, inseguranças
são transmutadas em sentidos
únicos, ternos e simples.
O perfume do corpo
reage ao afago.
A voz suave ao ouvido,
sussurro dos amantes.
E o tempo para e os abraços
colados na alma, sensações 
vertiginosas das grandes emoções.
E mesmo que lá fora tudo se acabe,
o sol que nasça e se ponha,
debaixo dos lençóis ficaremos
acordados, gemendo ou sorrindo,
Esquecendo dos planos de fora,
fugindo do abismo comum.
Embriagados de desejos, 
até que alguém derrube a porta
e destrua o que é só nosso.


Emiliano Pinheiro Véras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...