terça-feira, 17 de agosto de 2010

MENINA MARGINAL




Oh! Menina marginal
de olhar suspeito
e amor carnal.


          Tire-me dessa mansidão
          rasgando do meu peito
          o mais fraco coração.


Menina animal, não me castre,
sem um pouco de tesão.
Possua-me apenas com arte
de favelado artesão.


         Criança indecisa.
         Mulher de astúcia peitoral.
         Besta, alienada, alusiva.
         Menina sexy oral, animal, marginal.


 
Emiliano P. Véras

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...