quarta-feira, 28 de maio de 2014

FUI...



Fui naquela onda de ti conhecer,
te amar e te perder.
Fui naquele oceano límpido
levando o que eu ainda tinha
de medo, de inocente.
A ilusão de perfeição
de ser amado sem traição
nada tinha e acabou em alto mar.
Fui naquele por do sol
e vi o vento soprar forte
sôfrego e insistente.
Desconfiei da trama
com a velocidade da cama
e depois acordado
caí sobre a brisa
que fria, sacudiu consciente.
Fui naquela rua,
naquele encontro,
mas fugi do sonho.

Emiliano Pinheiro Véras

3 comentários:

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...