quinta-feira, 31 de outubro de 2019

PENITÊNCIA



Na calada da noite sombria
uma presa fácil aparecia.
Sua luminosa face
de inocência,
estava a deriva,
para mais uma
noturna recaídas.
Outrora num amanhecer,
em busca da luz divina,
arrependimentos
traiam sua atenção
de demônio no cio.
Reza ajoelhado,
sangue ao chão
relembrando odiosas
encarnações
de um faminto por trevas
e silêncio no decair
da escuridão por perdão.

Emiliano Véras e Levi Lopes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...