quinta-feira, 7 de novembro de 2019

PAIXÃO




Perfurante, sanguinário e cruel olhar,
Perigosamente intenso amante amor
Purpurina de desejos, sentimentos viciáveis.

Armado, gatilho no ponto... Pronto!
Amarrado para uma morte cega, sem diretas,
Ávido espaço de corpos, perenes ao som do vácuo.

Início eloquente de sentimentos atônitos
Ilusão das armadilhas viciantes dos caprichos,
Ingênua paixão inerente sem escapismos.

xadrez de tantos sonhos que se escodem no vácuo
xerga das minhas entranhas ensaguentadas de súplicas 
xilindró e morte aos meus infiéis pesamentos.

Autarquia das loucuras e sombria dos impulsos
Ânsia de todos os momentos de solidão
Atitudes incertas e vãs de um corpo pedinte.

Orgasmo de infinitas tentações embriagantes
Orgias de sentimentos não planejáveis e sãs
Orvalho de perfume fresco ao fim do dia.  

Emiliano Véras e Levi Lopes


Nenhum comentário:

Postar um comentário

TEMPO, TEMPO, TEMPO

A despedida " até logo!",  fortalece a paz que voltaremos  a qualquer hora nos encontrar.  A sonda os segundos, os minutos,...